quarta-feira, 9 de fevereiro de 2011

Assim é ela

Ela sempre sorri, só não sei como consegue.
Vive acertando os erros, e sempre ainda se atreve.
Vive no mundo da interrogação, onde nem o coração decide o caminho dela.
As horas passam, os dias correm e ela parada está, parada e sempre sorrindo.
Desajeitada, toda menina, esperta no ataque, na defesa nunca foi tímida. Menina de salto e vestido, das que nuncam pedem a rima.
Quando passa ele olha, se ela percebe ele disfarça, olha o espelho, arruma o cabelo pra nunca perder a graça. Ele nunca ameaça, espera tentando ser paciente sua exclamação, o mundo que ela vive eu já disse é o mundo da interrogação.
 Ele fica bravo, ela finge que fica, quando ela olha o desarma deixado-o todo sem graça.
Sorriso de canto de boca, chamas e brilhos no olhar, quem errou não importa o que importa agora é amar.
Quando longe sentem saudades, inexplicáveis a ele e a ela, mas se juntos irão ficar isso só quem pode afirmar é o pobre coração dela. Assim é ela.

Um comentário:

  1. Que texto massa... inquietante na indecisão.

    Grande abraço, meu irmão.

    ResponderExcluir